Planeta
 
A revista francesa Planète, fundada por Louis Pauwels e Jacques Bergier, ganhou sua versão brasileira em setembro de 1972. Tinha um formato quase quadrado (17,5x20 cm) e capa cartonada, assemelhando-se mais a um livro.

A revista foi apresentada aos brasileiros da seguinte maneira:

Planeta defende o espírito de tolerância e de liberdade em todos os domínios do conhecimento contemporâneo. No exame dos aspectos essenciais, escondidos ou visíveis, da aventura humana de nossos dias, ela propõe ao leitor exercer uma curiosidade sem limites ou preconceitos.

Quer se trate de idéias, de arte, de ciências humanas ou religiões ela não se permite críticas negativas, procurando, isto sim, o que une os homens e não o que os divide.

Lançada no país pela Editora Três, apresentava três nomes como editores: Luis Carta (também Diretor de redação), Domingos Alzugaray (diretor comercial e dono da Editora Três) e Fabrizio Fasano.

No primeiro número trazia, dentre outras, as seguintes matérias: Há seres extraterrenos? (por Louis Pauwels e Jacques Bergier), Os mistérios do fogo, Espionagem industrial, Como vamos viver em 1984 (as três de Jacques Bergier), O amor da Natureza (Maurice Maeterlink e Konrad Lorenz) e Freud esqueceu a mulher (Betty Friedan). A parte nacional ficou por conta do Jornal de Planeta, com rápidas notícias nas seis páginas finais, e pela matéria Os cultos de origem africana no Brasil, de Edison Carneiro. A foto da capa era referente a essa última. Foi feita pelo fotógrafo americano Lew Parrella, radicado no Brasil. A moça fotografada era Terezinha de Mello, do Grupo Folclórico Malungo.

 
Retorna à página da área NÚMERO 1
 

Título
Planeta

Lançamento
Setembro de 1972

Número de páginas
140