DIVITO é um dos maiores humoristas da América Latina. Com um traço muito pessoal e estilo próprio de ver o lado pitoresco da vida, criou uma nova escola em todo o continente. Suas personagens, especialmente suas garôtas, famosas em todo o mundo, falam por êle, sem necessidade de apresentação mais formal.

Divito, um dia, deixou por momentos sua Buenos Aires para um ligeiro passeio por Copacabana. Nas ilustrações que O CRUZEIRO apresenta, estão as melhores impressões que êle recolheu. Elas falam uma linguagem eloqüente.

 
 

QUANDO Divito viu as mulheres de Copacabana, fêz cara de espanto: Deus me livre. Em realidade. pedia a Deus exatamente o contrário. Que fartura de sereias, exclamou como bom portenho. Porque as mulheres de Copacabana (as mulheres do Rio, enfim) são uma loucura. Assimilam com facilidade a moda mundial. Paris para elas não tem segredos. Só que levam dentro dos últimos modelos e debaixo de frondosas cabeleiras o corpo mais belo e curvilíneo que Divito jamais havia fixado em seus desenhos.

No engarrafamento das ruas circulam milhares de automóveis norte-americanos do último tipo, com suas côres berrantes e suas curvas exageradas. Verdadeiras barbatanas de tubarão. E que pode fazer um pobre pedestre de olhos esbugalhados nesse mar revôlto? Só Divito pode dizê-lo bem.

Por último, Divito organizou um desfile de tudo que Copacabana tem. Todos caminhando apressados, em ritmo de samba e sem empurrar. Foi o que mais impressionou a Divito. Depois das mulheres, é claro.
 
O TRANSISTOR é hoje uma doença da moda. O carioca moreno e despreocupado já o incorporou `a sua vida. Indo para o trabalho, ou voltando do trabalho, está sempre com um rádio portátil. No ônibus, no cinema, na praia, para ouvir música ou futebol, o transistor é o maior amigo do carioca. E assim Divito o viu, como igualmente viu a preta brilhante e volumosa carregando a trouxa de roupa na cabeça. Sob sol ou debaixo de chuva, a lavadeira é um ponto obrigatório na paisagem de Copacabana.

 

AGORA, Divito tem o prazer de lhes apresentar o vendedor de pedras preciosas. Não precisam fugir dêle, mas é sempre preferível comprar pedras no hotel ou nas joalherias. Em Copacabana, à luz de um sol que parece eterno, as pedras brilham mais. Dizendo bem: brilham mais que as verdadeiramente preciosas. E há os engraxates, Deus do céu. Divito fala dêles tudo que jamais se poderia falar em mil palavras. E fala dos Cosme & Damião, que são assim chamados porque andam sempre em dupla, nunca porque sejam santos. E o vasto mundo de um bonde, sem dúvida o mais democrático de todos os transportes, também é Copacabana.
 

 

 

O Cruzeiro on line é um trabalho de preservação histórica do site Memória Viva