Elvis Presley
Virou Sargento do Tio Sam e voltou com dois mil quilos de bagagem

O REI do Rock já retornou aos States. Voltou como sargento e trouxe 2 mil quilos de bagagem. Foi preciso alugar um caminhão de mudanças para o agitado cantor. Elvis serviu durante um ano com os soldados ianques aquartelados em Friedberg, Alemanha. Fêz todos exercícios de caserna e deixou milhares de fãs esperando sua volta. O melhor sinal de sua popularidade nos Estados Unidos está nos 12 sacos de cartas que vieram na bagagem de Elvis. Com seu pai, avó, duas secretárias e dois acompanhantes, o mestre do rebolado moderno, morou em Bad Nauheim, numa casa alugada por 3 mil marcos germânicos. Não deixou de dar autógrafos e nem pôde recusar fotografias. Uma delas foi tirada em situação bem pitoresca. Foi no acampamento militar norte-americano. Uma lourinha fraulein por causa de Elvis ou por causa do calor resolveu tirar o seu casaco. Aí, um capitão ianque disse: É muito sexy e não fica bem numa caserna. A fraulein botou o casaquinho de novo, tirou flashes do Rei do Rock e foi-se embora. Naturalmente, Elvis não deve ter gostado muito, mas o capitão deve ter lembrado que agora não se tratava de rock, mas de cumprir seu ofício militar. E assim Elvis virou sargento mesmo. Passou a fazer as suas marchas forçadas e deixou um pouco de lado o cartaz. Mas os moradores de Bad Nauheim passaram a circular por sua casa. Principalmente as tais fraulein louras. Quando o cantor arrumou suas malas para partir, ajudantes não faltaram. Todos queriam dar a sua mãozinha ao cantor atrapalhado com os seus dois mil cento e oitenta e sete discos e os doze sacos de correspondência. Depois houve um auf widersehn e Presley e seu séqüito (papai, vovó, secretárias e acompanhantes) partiram, de avião, para os States.

O Cruzeiro on line é um trabalho de preservação histórica do site Memória Viva