Bandeira em liberdade

Fotos de ANTÔNIO RONEK e GERALDO VIOLA

Alberto Jorge Franco Bandeira, desde as 16.20 horas de sexta-feira última, se encontra de volta à liberdade, da qual fôra retirado com a sua condenação como autor da morte do bancário Afrânio de Lemos. Perguntado pelo Dr. João Claudino de Oliveira Cruz, juiz das Execuções Criminais, se concordava com as condições de seu livramento, disse: Não posso contrariar minha mãe. Mas preferia sair daqui como um inocente. Aos jornalistas, acrescentou: Em liberdade, vou continuar a lutar para provar tôda a minha inocência. Dona Risoleida Franco Bandeira, que pedira o livramento condicional de seu filho, não compareceu à Penitenciária para sair com êle. Esperou-o em casa. Bandeira, com os cabelos grisalhos nas têmporas, foi recebido, fora do portão do presídio, por onde cruzou no carro do Deputado Tenório Cavalcanti, com vivas e palmas de uma pequena multidão. Vestia terno cinza, gravata verde com pintas brancas e sapatos pretos. No bôlso, levava Cr$ 550,00 em dinheiro e uma caderneta da Caixa Econômica com Cr$ 4.015,00 de depósitos. Mas deixara com o Coronel Paim, diretor da Penitenciária, a sua carteira de presidiário. Está livre. No próximo número da revista O Cruzeiro será publicada reportagem sôbre a sua libertação, de que as fotos desta página mostram o ponto emocional mais alto: acima, Bandeira com sua mãe, e, abaixo, mãe e avó recebem o recém-libertado. Na outra foto, no carro de Tenório, voltando para casa.

O Cruzeiro on line é um trabalho de preservação histórica do site Memória Viva